sábado, 24 de janeiro de 2009

OLÁ !


Pois é... aqui estou eu virtualmente, digo, nós, com nossas imagens de tela. Não a tela de pintura, velha conhecida nossa, que sempre foi uma forma de arte, de se perpetuar a imagem e contar a história de nossa existência humana, em quadros na parede da sala, dos gabinetes, museus, com ricas molduras, inclusive o auto-retrato.
Com a fotografia, nossas imagens se eternizaram nos álbuns de família, em fotos presas por lindas cantoneiras, e protegidos por papéis tipo vegetal que nos garantia a vida, a cor, só ficando ligeiramente amareladas, tipo sépia, mas até charmosas, dando idéia de tempo, experiência de vida, altivez. Podia acontecer uma umidade, um cheirinho de mofo, principalmente se ficassem lá esquecidas por muito tempo. Bastava um ambiente arejado e logo voltavam ao normal, passando de mão em mão, através de gerações, relembrando histórias de vida.
Mas agora os tempos são outros, nas telas dos monitores somos imagens digitais nítidas, cheias de brilho, cores. E vivos ou mortos, nossos movimentos e falas são preservados pelos vídeos.
Dizem-nos “virtuais”, porque somos um pouco eletricidade, eletrônica, teclado, mouse, sistemas, mas na verdade nossas palavras tecladas expressam sentimentos reais, tanto quanto seriam nos livros, nas cartas, telegramas, ou mesmo quando ditas no real, olhos nos olhos, certo?
E digo mais, comparando com as cartas, somos até mais reais, porque “on line”, falamos o que estamos pensando naquele momento, e as cartas quando chegavam já poderiam não corresponder aos sentimentos nelas expressos. Mas de qualquer forma, eram também bem-vindas, ficavam em nossas memórias, em caixas nos armários, poderiam ser lidas e relidas, e muitas guardavam mesmo seus perfumes.
Então, o que vale mesmo são os bons sentimentos, as verdades, as trocas de idéias, as prosas, amores e paixões, sonhos e realidades, o interagir com o universo a nossa volta. (ney).

4 comentários:

Dulce disse...

Ney
Seu texto está incrível. Uma linda caminhada pelo tempo, desdobrando momentos escritos na memória ou sobre papel... E carregadinho de verdades...
Lindo demais! Adorei!
Bjs.

ney disse...

Dulce,
Obrigado pelo comentário, pelo elogio e incentivo. bj.

Jardeco7 disse...

Legal Ney! Não importa a ferramenta e sim o sentimento.

ney disse...

Valeu, Jards.