domingo, 30 de novembro de 2008

DE VOLTA AO JARDIM...




















Clique sobre as imagens para ampliá-las (fotos ney).


Volto ao jardim, não para me queixar, ou chorar, como diz a bela canção do Cartola, não é o caso, e sei que "as rosas não falam"... mas porque acho que fiquei um pouco esquecido delas. Talvez porque existiam em todos os jardins das casas lá do meu tempo, aquelas "com cadeiras na calçada, e na fachada escrito em cima que é um lar, pela varanda flores tristes e baldias" - como diz o Chico Buarque em GENTE HUMILDE. Ou pode ter sido de tanto vê-las nas festas e comemorações, presentes. E começaram a existir as rosas de papel, lata, prata, tecido, madeira, plástico.
Mas agora, ao fotografá-las assim mais próximo, em close-up, volto a sentir seu aroma natural, junto a terra, a delicadeza de suas pétalas macias e aveludadas, ainda vivas, bem diferentes daquelas de plástico, que fazem sucesso no comércio, e são até aromatizadas de forma artificial.
Então, entendo bem porque são sempre lembradas nas belas medodias, como a do Cartola, falando dos corações apaixonados.

sábado, 29 de novembro de 2008

ESPELHO II - Múltiplas imagens numa só.





















Clique sobre a imagem para ampliá-la (foto ney).

Eu queria minha foto com a praia no cenário de fundo; a mulher queria com a da igrejinha; e lá em cima no vidro do carro ainda aparece a do posto BR e a rua lá embaixo, refletida no outro vidro. E na foto de cima ainda aparece na curva da lataria a areia da praia (faixa mais clara, prateada). Na foto do post anterior dá para ver a localização do posto, da areia.

ESPELHO, ESPELHO MEU...




















Clique sobre as imagens para ampliá-las (foto ney)

Espelho, espelho meu... mude essa praia para o outro lado, mude o trânsito das pistas para "mão inglesa", faça o dia ficar mais bonito, ensolarado, mude o nome da Praia de Charitas para SATIRAHC, o posto BR para RB, ou então leia da direita para a esquerda... COISA DE MALUCO.
Por que o espelho só inverte coisas que estão na dimensão horizontal? Vá ficar em frente ao espelho de um banheiro e reflita sobre isso por um momento. E repare que uma palavra escrita num papel, ou mesmo a estampada na sua camisa, inverte como se estivesse da direita para a esquerda. Mas não é bem assim, o REFLEXO de uma seta apontada para a direita continua para a direita. Ou escreva um nome da direita para a esquerda e ele vai aparecer correto da esquerda para a direita. A mudança se dá em todas em direções. Que confusão esse espelho faz.

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

ENCHENTES

Enchentes em Santa Catarina - Histórico desde 1911
http://www.youtube.com/watch?v=JgIVu6AN1Ws

COMO AJUDAR:
http://www.defesacivil.sc.gov.br/index.php?option=com_frontpage&Itemid=1

NAMORADEIRAS
















.
Clique sobre a imagem para ampliá-las (foto ney).

São graciosas essas namoradeiras, mas eu trago flores para elas e nada de sorrisos, nem um piscar de olhos, acho que são mais é fofoqueiras, e gostam de ficar de olho em quem passa na rua. Têm um olhar assim meio triste, mas também esperançoso. Vestidos de chita e fitas no cabelo. De um jeito ou de outro, acabam sendo bem charmosas, pois lembram as cidades do interior, mas vivem frequentando os ambientes elegantes das cidades, decoram os mais chiques ambientes. São do Sul, Sudeste, Norte, Nordeste e Centro-Oeste, elas são mesmo é brasileiras, e fazem sucesso no exterior

100 ANOS DE CINEMA




















Clique sobre a imagem para ampliá-la. (Foto ney- Espaço Cultural AABB Niterói.

100 ANOS DE CINEMA - VALE VER O VÍDEO TODO (DEMAIS!)

http://www.youtube.com/watch?v=E_fCRE5Xtnc&feature=related

PEGADAS NA AREIA



Clique sobre a imagem para ampliá-la (foto ney)

Pegadas na areia escreveram o meu nome na areia da Praia de Camboinhas (canto inferior esquerdo). Mistério... rs.
Como a Lua que namora o mar/ Sobre o brilho das estrelas/ Como a noite que acaba/ Ao nascer de um sol/ E uma voz que sai do coração/ Pra falar só de amor/ No acorde do meu violão/ Que apaga toda a dor/ Passo a noite inteira no sereno/ Só pra sentir um doce beijo seu/ Não se avexe que o amor não é passageiro/ E dura enquanto bater o coração/ As ondas do mar vão apagar o nosso nome na areia/ Mas não apagam o sentimento não/ Enquanto houver no céu a Lua cheia/ Tenha certeza, haverá uma paixão. Música FORRUEIROS.

CHUVAS

video

Clique em PLAY > na imagem acima.

Na primavera de chuvas de verão, o canal aqui da rua chega a transbordar, as duas pistas viram um só rio, que chega próximo da grade do prédio, mas nunca entrou (ainda bem). E as nuvens não param de chegar...

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

MOMENTOS



















Clique sobre a imagem para ampliá-la (foto ney).

Canção do dia de sempre
Tão bom viver dia a dia... A vida assim, jamais cansa... Viver tão só de momentos. Como estas nuvens no céu... E só ganhar, toda a vida, Inexperiência... esperança... E a rosa louca dos ventos Presa à copa do chapéu. Nunca dês um nome a um rio: Sempre é outro rio a passar. Nada jamais continua, Tudo vai recomeçar! E sem nenhuma lembrança Das outras vezes perdidas, Atiro a rosa do sonho Nas tuas mãos distraídas... Mário Quintana.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

OLHARES DISTANTES


















Clique sobre as imagens para ampliá-las (foto ney) - Vistas de Niterói.

OLHARES EMOLDURADOS






Clique sobre as imagens para ampliá-las (fotos ney).
Um terraço sobre a Baía da Guanabara (Estrada Fróes); Solar do Jambeiro e MAC - todos em Niterói.

VAI VOLTANDO O PÔR-DO-SOL DE PRIMAVERA





Clique sobre as imagens para ampliá-las (fotos ney). Volta um pôr-do-sol de primavera na minha janela.

CACTOS E SUCULENTAS







Clique sobre as imagens para ampliá-las (fotos ney).
Lindos cactos e suculentas no cactário do Jardim Botânico do Rio... mais de 100 espécies.



VITÓRIA-RÉGIA













Clique sobre a imagem para ampliá-la (foto ney) - Jardim Botânico-Rio.

Vitória-régia, aquática, amazônica, folclórica, mística, rainha, encantada, lacustre, estrela das águas... flor branca, noturna, lunática, aroma adocicado, atraente, envolvente, mutante num rosa matinal. ney/

PRIMAVERÃO INVERNAL









Clique sobre as imagens para ampliá-las (fotos ney).

Diminuiu a chuva, tenta o sol aparecer entre as nuvens, vai a primavera tentando se encontrar entre o inverno e o verão, mas assim meio tímida e sombria, entre flores e espinhos. Mas também, como aguentar tantos estragos dos seres que se dizem humanos. Haja luz!
Mas vamos cuidar, recuperar, para que volte com todo o seu esplendor, nos permitindo viver seus belos momentos e sua diversidade.

terça-feira, 25 de novembro de 2008

AS MISSAS DE DOMINGO









Clique sobre as imagens para ampliá-las (fotos ney).
.
.
E se falei dos 18 anos no serviço militar, volto mais 2 anos no tempo e aqui estou, nessas imagens, no Colégio Salesiano e Basílica N.S. Auxiliadora em Niterói. E nessa Basílica, nas missas de domingo (8h), nós alunos cantávamos hinos religiosos a Dom Bosco e N.S.Auxiliadora, e lá no quartel, marchando, hinos da artilharia, num tempo (idade), que memorizou para sempre esses cantos. Era uma missa aberta a toda a comunidade, de um tempo que deixou saudades, e lá estavam também nossas namoradas. Um colégio católico voltado para EDUCAÇÃO, onde estudaram também meus filhos e neto, de uma convivência e formação que nos acrescentou muito, nos ajudando a chegar a universidade. A Basílica tem um dos maiores órgãos da A.Latina. Ao fundo, no alto, aparece o Monumento a N.S.Auxiliadora, inaugurado em 1900.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

AINDA BÚZIOS - PRAIA DE GERIBÁ - 12/09/08


Clique sobre a imagem para ampliá-la.
.
NA PRAIA (Augusto P. Gil)

Espojado na areia
Deleito-me
A observar o céu.

De calma azul
De gaivotas dançando,
Aos pares, esvoaçando,
Enamoradas
No céu.
Como se estivessem
De asas entrelaçadas.

Bem junto, da água
Oiço o ritmado,
Bater, ondulado
Das ondas.

E as crianças...
Saltitando,
Gritando,
Chapinhando
Em risos estridentes
De contentes
Lá se vão banhando.

E eu...Espojado
Nestas areias
Amareladas
De sol escaldante,
Vou sonhando...
Como se de um quadro
Fosse desenhando.

E a frescura, da agua
Das ondas, enroladas
Que na beira-mar
Se desfazem
Salpicando
E molhando
Tudo, em volta...
Vão chegando,
Até junto de mim.

E nesta mistura,
De sons
E de cores, de vida,
Eu...por um dia
Dei o tom
À praia, numa ida.

AOS 18 ANOS...










Clique sobre as fotos para ampliá-las.

Já que o blog tem sido também um registro de momentos vividos, não poderia deixar de lembrar aqui esse 1 ano de serviço militar. Eu tinha 18 anos, adquiri um preparo físico inesquecível, marchando e fazendo exercícios nessa bela Fortaleza de Santa Cruz, em 1963, era ainda artilharia de costa. O início de sua história remonta ao século XVI, quando Villegnon aqui esteve numa ocupação francesa. Os portugueses, para evitar novas incursões, começaram então a usar esse ponto estratégico na entrada da Baía da Guanabara para evitar novas invasões. Um ponto turistico e histórico muito bem preservado, há alguns anos aberto à visitação pública.
Foi um ano de paz, de ensinamentos, disciplina, o serviço militar obrigatório, um grupo de bons amigos, e fizemos encontros da turma 20 e 40 anos depois, e sempre nos encontramos eventualmente e lembramos desses 18 anos. Um ano inesquecível.

E CONTINUA A CHUVA...



















Clique sobre as imagens para ampliá-las. (fotos ney)

Chove chuva, sem parar,
minha rua a inundar,
águas correm para o mar.

FAMÍLIA DE RUBRO-NEGROS

Veio de pai para filho, sobrinhos, netos, e ficou a família rubro-negra. Acreditamos, como sempre, mas foi chegando o São Paulo mais uma vez e vai levar a taça (merecidamente). Fica para a próxima, o Flamengo sempre nos tráz alegrias.
Ah, só não precisava ontem, no mineirão, não se marcar um penalti e estragar o belo jogo do Flamengo com o Cruzeiro. Assim não vale!

Veja ai filho, neto, sobrinhos... meus tempos de maracanã já eram, estou na terceirona...

http://virocha.multiply.com/photos/album/51/Maraca_-_Flamengo_5_x_2_Palmeiras

domingo, 23 de novembro de 2008

INCONTÁVEIS E INESQUECÍVEIS FÉRIAS









Clique sobre as imagens para ampliá-las (foto ney).

Arraial, Búzios, Cabo Frio
Incontáveis férias
azuis inesquecíveis.


CADÊ A PRIMAVERA?





Clique na imagem para ampliá-la.

Mas cadê o sol, o céu azul da primavera? Parece uma fábrica de nuvens cinzas e carregadas trabalhando a todo vapor, assim vamos enfurrujar, eu e o "camelinho, magrela, bicicleta". E no meu caso tem esse tal de prazo de validade...

ORQUÍDEAS







Clique sobre as imagens para ampliá-las (fotos ney)
Orquídeas: Tenho umas na varanda que não querem dar flor, acho que estão tristes e fazendo protesto por causa da obra ao lado, o paredão de concreto da construção que cobriu o sol da manhã, a lua, árvores, paisagem, então fico com essas digitais que fotografei no Jardim Botânico. E na pequena varanda cheguei a ter uma quase árvore, fonte, plantas, um mini jardim botânico, botei até uma placa (PRAÇA DA FONTE)... Perdi! É o "progresso", e a tal construção (edifício), se diz um GRAN PALAZZO, pode? A "Selva de Pedra" e suas "RESIDENZAS, VILLAGES" verticais. Ainda bem que me sobraram janelas viradas para uma grande área verde.

sábado, 22 de novembro de 2008

ESCADA



Clique sobre a imagem para ampliá-la.

ESCADA

Pois é...
Cheguei aqui no alto dessa escada
E numa dimensão poética e imaginária
Fico tentando associá-la a vida.

Então...
Considerando ser a terceira idade seu patamar
Fico feliz de ter chegado até aqui
Entendo mesmo como uma dádiva.

E enquanto puder...
Vou ficar aqui desfrutando desse amadurecimento
Desse crescimento que me foi possível alcançar
E não perder o encanto pela vida.

Daqui por diante é o mistério...
E de forma simbólica e casual
Está ai o portão fechado mantendo o segredo
E certamente não sou eu que vou desvendá-lo

Talvez seja esse o grande sentido da vida
De ser um caminhar, galgar degraus
Uma renovação...
Um jeito infinitamente sábio de sermos eternos.

Ney.

VAMOS VER AS ROSAS





































Clique sobre as imagens para ampliá-las (fotos ney)
Jardim Botânico - Rio.