terça-feira, 21 de abril de 2009

MEU BONDE





Clique sobre as imagens para ampliá-las.

Gostei tanto que comprei um bonde para mim (rs).

OS BONDES DE SANTA TEREZA - RIO

video

Clique em PLAY > na imagem acima. (vídeo ney).

Filmei só um pedacinho, muitas turistas a bordo, nessa viagem belas moças inglesas formavam um animado grupo. Velhos só o bonde e eu que me filmei no final, a máquina até desligou.
São tantas as histórias sobre os bondes. Em frente a casa da minha namorada os bondes passavam a todo momento. No Rio e em Niterói viajei em todas as linhas, e cá estou eu ainda correndo atrás dos bondes, desses bons tempos que deixaram saudades. ney/

http://www.youtube.com/watch?v=FmeEKOs9D-A&feature=related
http://www.youtube.com/watch?v=EB7kNBHGqas

PERDI O BONDE

video

Clique em PLAY > na imagem acima.

"Perdi o bonde e a esperança. Volto pálido para casa". Carlos Drummond de Andrade

http://www.youtube.com/watch?v=EO8FltCU9qQ

IMAGENS DE UMA ARQUITETURA QUE SE MISTURA NO ONTEM E NO HOJE





















Clique sobre as imagens para ampliá-las (fotos ney)
O Rio de muitas arquiteturas



TIRADENTES



Clique sobre a imagem para ampliá-la (foto ney)

Esta foto tirei ontem, colocando em destaque a estátua de Tiradentes. O local tem um belo contexto arquitetônico, infelizmente misturando o Rio antigo (construções da época do império), com imensos arranha-céus. O Palácio Tiradentes foi construído no terreno da "cadeia velha" onde esteve preso Tiradentes. Ali foi também o parlamento imperial, o Congresso Nacional, e é hoje Câmara dos Deputados do Rio de Janeiro. Mais imagem em http://www.flickr.com/photos/claudiolara/255088236/
Cecilia Meireles nos diz bem de Tiradentes em O Romanceiro da Inconfidência:
Por aqui passava um homem- e como o povo se ria! -que reformava este mundode cima da montaria.Tinha um machinho rosilho.Tinha um machinho castanho.Dizia: ‘Não se conhece país tamanho!’‘Do Caeté a Vila Rica,tudo ouro e cobre!O que é nosso, vão levando..E o povo aqui sempre pobre!’Por aqui passava um homem- e como o povo se ria! -que não passava de Alferesde cavalaria!‘Quando eu voltar - afirmava -outro haverá que comande.Tudo isto vai levar volta,e eu serei grande!’‘Faremos a mesma coisa que fez a América Inglesa!’E bradava: "Há de ser nossa tanta riqueza!"Por aqui passava um homem- e como o povo se ria! -‘Liberdade ainda que tarde’nos prometia.Cecília Meireles sabia do que acontecera durante toda a Inconfidência Mineira,e a aquela referência, no poema, à América Inglesa, não foi gratuita. É que os EstadosUnidos, saindo do colonialismo inglês, tomaram conhecimento do preparo da sedição brasileira e Tomas Jefferson, o criador da primeira Constituição americana queria simplesmente falar, se encontrar com Tiradentes. Alguns historiadores acham que talencontro se realizou. http://74.125.47.132/search?q=cache:tHwbaTbWlq0J:www.dombarreto.g12.br/arquivos/temporarios/Assis%2520Brasil/TIRADENTES%2520POESIA%2520E%2520HISTORIA.pdf+Tiradentes+-+poesia&cd=6&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br
Mas vejam o que outros falam da nossa polêmica libertação. Clique em cada triângulo vermelho do "libertas que sera tamen" desse endereço: http://www.blocosonline.com.br/literatura/poesia/temdomes/2006/04/Tiradentes/temdomes.php