quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

TANTA BELEZA NUM DIA DE VERÃO





















Clique sobre as imagens para ampliá-las (fotos ney).

Tanta beleza num dia de verão. Como disse William Shakspeare em seu (soneto 17): "Às vezes brilha o Sol em demasia, outras vezes desmaia com frieza; o que é belo declina num só dia, na terna mutação da natureza".
E o ROUPA NOVA na canção de Thomas Roth e Lulu Guedes:
É como um sol de verão, queimando no peito, nasce um novo desejo, em meu coração... É uma nova canção, rolando no vento, sinto a magia do amor, na palma da mão. É verão! Bom sinal! Já é tempo, de abrir o coração, e sonhar...

2 comentários:

Marisa disse...

Desperta o verão
Vestido em rendas amarelas
Tecidas por raios de sol
Que iluminam a cidade!

Lençois de branca areia
Acolhem sonhos revelados
Que se misturam em alegria
Junto ao dia ensolarado!

Estação por si definida
Magia em cores vivida
Castelos de emoção!

O calor aconchega o amor
Que brota viçoso
Enraizando-se profundo!

Devaneios vagueando no verde mar
Fé latente no peito
Espontâneo acreditar!

Romances ricos em matizes
Plenos em inspiração
Que desabrocham quentes na estação!

Carmen Vervloet

ney disse...

Marisa,
Obrigado pela linda poesia. A poetiza disse bem do verão, dos raios de sol, da magia das cores, devaneios vagueando no verde mar, romances que desabrocham quentes na estação.
É mesmo uma explosão de vida e beleza, e vou na minha bicicleta parando, clicando e registrando cada momento do caminho.
E chega alguém na janela, no portão, e vem o segurança dar uma olhada, às vezes olhares desconfiados, outros de bons amigos que acabam em prosas.
Obrigado pela presença, o comentário em poesia, vou até postar novas fotografias na próxima postagem. ney///